Constipação na gravidez

Algumas vitaminas utilizadas na gravidez, principalmente aquelas que contem ferro são constipantes

 

De uma maneira prática, podemos definir constipação como dificuldade e/ou diminuição do número de evacuações. Trata-se de um problema freqüente nas mulheres e que ocorre em cerca de 50% das gestantes. Existem 3 razões principais para explicar porque as mulheres grávidas ficam constipadas: 1. Aumento dos níveis de progesterona, que faz com que a função intestinal fique mais lenta. Com isto, as fezes ficam mais tempo paradas no intestino grosso onde ocorre maior absorção de água endurecendo as fezes. . Algumas vitaminas utilizadas na gravidez, principalmente aquelas que contem ferro são constipantes. Além das vitaminas, antiácidos a base de carbonato de cálcio ou suplementos minerais que contém cálcio podem prender o intestino. 3. O crescimento do útero pode comprimir o intestino dificultando a passagem das fezes. Duas outras condições podem causar constipação após o parto: 1. Algumas vezes em razão de lacerações ou episiotomia a paciente pode ter dor ou sentir medo de ter dor e em razão disto, inconscientemente, “segura” a vontade de evacuar. 2. Algumas medicações utilizadas no pós-parto como derivados da codeína indicados com analgésicos causam constipação. Como fazer para evitar a constipação? Várias são as medidas não medicamentosas que contribuem para a melhoria e/ou prevenção da constipação: 1. Exercícios regulares. 2. Beber bastante líquidos. 3. Aumentar a fibra da dieta comendo mais vegetais, frutas e cereais. 4. Reservar o momento de ir ao banheiro estabelecendo um horário de rotina como, por exemplo, após o café da manhã. Algumas medicações podem ser utilizadas durante a gravidez como amolecedores das fezes ou laxativos suaves como leite de magnésia. De qualquer modo, não utilize nenhum medicamento sem antes consultar seu ginecologista! Fonte: Dr. Décio Chinzon é professor assistente da disciplina de gastroenterologia clinica da FMUSP e chefe do setor Gastroenterologia e endoscopia do Laboratório dos Diagnósticos da América. Fonte: www.bsbsaude.com.br/

Deixe uma resposta