Depressão pós-parto

O estado emocional da mulher precisa ser bem avaliado e acompanhado, principalmente se houver

 

Como uma boa orientação psicológica pode ajudar a entender o turbilhão de emoções que a mulher irá enfrentar ao longo dos nove meses de gestação e ainda evitar a depressão pós-parto. A gestação é um período muito especial para a mulher. Ter o acompanhamento de um ginecologista e de um obstetra é fundamental para a futura mamãe ter uma gravidez saudável e tranqüila, mas o ideal também é que ela concilie e compartilhe suas emoções com um psicólogo ou psicanalista. “O acompanhamento psicológico pode ajudar no preparo para um bom parto, na mudança de papel com a maternidade e ainda prevenir a depressão pós-parto”, afirma a psicóloga e psicanalista Dulce Barros. O estado emocional da mulher precisa ser bem avaliado e acompanhado, principalmente se houver tristeza constante logo após o nascimento do bebê. DEPRESSÃO PÓS-PARTO A depressão pós-parto é mais comum do que se imagina. Ela se inicia na primeira semana depois do nascimento da criança e estima-se que entre 50% a 80% de todas as mulheres apresentam reações emocionais como: crises de choro, cansaço, humor deprimido, irritação exagerada, ansiedade excessiva e lapsos de memória. De acordo com a psicóloga, é fundamental a gestante ampliar um espaço dentro de si própria para acolher emocionalmente o bebê e entender que ela está gerando uma nova vida. Durante a gestação, a mulher se sente mais sensível com os novos afazeres, com as cobranças e descobertas. “Quando entra um novo elemento na família todos precisam se readaptar. São novos papéis impostos, novas obrigações, sendo preciso aprender a achar novos espaços até mesmo para o próprio casal e criar assim, cumplicidade e união para receber o bebê”, conclui. COMO EVITAR A DEPRESSÃO PÓS-PARTO? Durante esse período, é importante contar com o apoio dos familiares e amigos. “É interessante trocar experiências com outras gestantes, cuidar do corpo e da mente. O equilíbrio emocional reflete no bebê. Converse, desabafe, caminhe, faça exercícios físicos com orientação médica, medite, durma mais, tenha uma alimentação balanceada e procure ter uma vida normal”, conclui a psicóloga. INFORMAÇÕES SOBRE DULCE BARROS Dulce Barros é psicóloga, psicanalista e sexóloga. Especializada no acompanhamento e atendimento de adolescentes, adultos e casais. Dulce concluiu licenciatura e bacharelou-se no Curso de Psicologia do Instituto Unificado Paulista. Possui especialização em Terapia Sexual pela Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana, em Programação Neurolingüística pelo IBEHE em parceria com o Fundo de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão da UNAERP (Universidade de Ribeirão Preto) e em Psicanálise pela Sociedade Brasileira de Psicanálise Dinâmica (SBPD). www.saude.com.br

Deixe uma resposta