Digestão saudável

Não são poucas as pessoas que se queixam de mal-estar, “queimação no estômago” e coisas do gênero…

 

Não são poucas as pessoas que se queixam de mal-estar, “queimação no estômago” e coisas do gênero. Quem sofre com esse tipo de problema acaba perdendo um pouco do prazer que proporciona uma boa refeição. Isso sem falar que, se você está se sentindo mal durante a digestão é porque algo não está funcionado bem no seu organismo. A Federação Brasileira de Gastroenterologia lista dez dicas para você ter uma boa digestão. CONFIRA, SIGA E APRENDA A COMER DIREITO 1. NUNCA TOME MEDICAMENTO SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA O mercado farmacêutico oferece uma série de remédios que combatem os sintomas de uma má digestão. Isso pode “mascarar” os problemas e retardar o diagnóstico de doenças mais graves, até câncer.

 

Cuidado com os remédios para dor, os antigripais e outros à base de ácido acetilsalicílico, além dos antiinflamatórios, principalmente aqueles conhecidos como não-específicos. Eles são uma das principais causas de problemas digestivos. 2. BOM SENSO NA HORA DE COMER Ninguém melhor que você para saber os alimentos que lhe fazem mal. A principal regra é evitar aquilo que você sabe que não lhe “cai” bem e dar preferência aos alimentos que não costumam produzir sintomas. Você não precisa passar fome para fazer uma dieta, mas também não deve comer até estufar. O segredo é comer certo e numa quantidade razoável. A cultura popular já prega: “Tudo demais é veneno”. 3. REFEIÇÕES NOS HORÁRIOS E AMBIENTES CORRETOS Apesar do corre-corre, reserve um pouco de tempo na agenda para comer com calma. Faça suas refeições (café, almoço e jantar) nos horários corretos, em ambiente calmo e mastigando bem os alimentos. 4. NÃO FIQUE MUITO TEMPO EM JEJUM Se você sabe que vai ficar mais de quatro horas sem comer, faça um lanchinho leve. Uma frutinha ou uma barra de cereais (rica em fibras) à tarde sempre vai bem. 5. O COCHILO DEPOIS DO ALMOÇO ESTÁ VETADO Deitar depois das refeições é a pior coisa que você pode fazer. Você deve guardar um intervalo de, no mínimo, 90 minutos entre a última refeição e o sono. Isso vale para a dormidinha depois do almoço e para quem vai dormir logo após o jantar. 6. FRUTAS, VERDURAS E LEGUMES SEMPRE FAZEM BEM Dê preferência a esses alimentos em vez daqueles gordurosos ou muito condimentados (principalmente com excesso de alho, cebola, pimentão e afins).

Se você é relutante em aderir a esses gêneros, experimente prepará-los de forma criativa. A arte da culinária está aí para isso. 7. O LADO BOM E RUIM DO LEITE O leite alivia a sensação de queimação em algumas pessoas, mas, por conter muito cálcio e proteínas que estimulam a secreção ácida do estômago, é recomendado apenas um copo, uma a duas vezes ao dia, de preferência à noite. Procure evitar aquele “leitinho antes de dormir”. 8. CIGARRO, NEM PENSAR O fumo está relacionado a problemas que podem acontecer com seu estômago, como, por exemplo, retardar a cicatrização da úlcera, além de provocar azia. 9. ATENÇÃO PARA AS BEBIDAS ALCOÓLICAS Bebidas alcoólicas devem ser tomadas com moderação e nunca em jejum. Dê uma “forrada” no estômago antes de consumir qualquer bebida. Refrigerantes e gasosos em geral também devem ser tomados com moderação, pois o gás distende a parede do estômago, provocando aquela sensação de estufamento e estimulando também a secreção ácida. 10. O CAFEZINHO DEPOIS DO ALMOÇO O hábito do cafezinho depois do almoço e do jantar está liberado. O que não pode é “tomar um dedinho de café” o tempo todo. Atenção: o que vale para o café (mesmo o descafeinado) vale também para a maioria dos chás. Os melhores são os de erva-doce e camomila. Fonte: www.clubedaboaforma.com.br

Deixe uma resposta