Doenças cardiovasculares e os hábitos da vida

Reduzir a ingestão de produtos refinados

 

As doenças cardiovasculares (infarto do miocárdio e derrame cerebral) são, ainda hoje, nos países de primeiro mundo e nas grandes cidades brasileiras, a principal causa de mortalidade e de lesões físicas limitantes e definitivas, ocorrendo, muitas vezes, em idade precoce. No final da década de 50 já estavam estabelecidos os principais fatores diretamente ligados à doença coronariana : obesidade, colesterol elevado, hipertensão arterial, tabagismo e hereditariedade. O que se passou a observar era a grande correlação entre os hábitos de vida adquiridos pelas sociedades ocidentais industrializadas do pós-guerra e o aumento na incidência destas doenças: o homem passou a ter uma dieta mais desequilibrada, se tornou menos ativo (sedentarismo), passou a fumar mais, a beber mais, a se submeter a níveis maiores de tensão emocional (stress). Surgiram então as primeiras grandes campanhas de prevenção – por se ter como definido que; as doenças cardiovasculares não eram simplesmente resultados da idade mais avançada ou da herança genética, mas sim de uma ou mais condições evitáveis. Portanto, se tivermos uma atuação positiva com relação à modificação de certos hábitos e rotinas em nossas vidas estaremos retardando e/ou reduzindo significativamente a incidência destas doenças (e a necessidade do uso de medicamentos e internações hospitalares, etc). Medidas preventivas e eficazes a serem adotadas: – Reduzir a ingestão total de gorduras da dieta, dando maior ênfase à redução da gordura saturada (de origem animal); – Reduzir a ingestão do sal (no preparo dos alimentos e daqueles já previamente salgados); – Reduzir a ingestão de produtos refinados (açúcar, doces, bolachas…) – Aumentar a ingestão de carnes brancas, verduras, legumes, frutas, grãos integrais, etc; – Iniciar a prática de atividade física, de intensidade moderada e com regularidade (3 a 5 vezes por semana); – Manter um controle adequado dos níveis de pressão arterial sangüínea ( Hipertensão Arterial) e da Glicemia (açúcar no sangue – Diabetes Mellitus); – Parar de fumar; – Reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas; – Procurar reduzir o nível de stress emocional: manter um bom convívio familiar, social e no trabalho, administrar melhor nosso tempo, determinando horários para trabalho, lazer, exercício, refeições, para um hobby… vida penosa com grande custo social e morte prematura. Dr. José Eduardo de Azevedo Antunes Cardiologista Tel: (11) 289-5744

Deixe uma resposta