Hena: coloração sem danos

A hena é uma ótima opção para quem quer mudar a cor dos cabelos

 

 

A hena é uma ótima opção para quem quer mudar a cor dos cabelos sem afetar a estrutura dos fios O pó extraído da folha desta árvore originária do norte da África e Índia (Lawsonia inermis Linné) pode fazer muito por sua beleza. Se os primeiros fios brancos estão aparecendo, por exemplo, uma única sessão pode deixar sua cabeleira com as luzes acobreadas que estão na última moda. E sem precisar recorrer às químicas! É que a hena deixa os fios avermelhados, de um tom que varia de acordo com a cor original dos cabelos. Se forem escuros, ficarão com leve reflexo vermelho. Se forem claros, o castanho-avermelhado será mais intenso. Em ambos os casos, o pigmento deixa os fios brilhantes. Não há hena pura incolor, castanha ou preta, só vermelha. “A cor alterada é obtida por meio de corantes artificiais”, explica Hélia Baselli, consultora farmacêutica da Weleda, empresa reconhecida por usar substâncias naturais em suas formulações. Preparar a mistura é simples: basta despejar o pó num recipiente, adicionar água fervente e mexer até formar uma pasta cremosa.

 

A mistura deve ser passada na raiz e espalhada com o auxílio de um pente em direção às pontas. Como o calor úmido facilita a penetração do princípio ativo, pode-se envolver os cabelos com toalha molhada (destine uma toalha velha para esta finalidade, pois ela pode manchar) e colocar touca térmica, filme plástico ou papel alumínio. Coloração sem danos Como a planta resseca um pouco as madeixas, é perfeita para quem possui cabelos mistos ou oleosos, pois ajuda a manter o excesso de oleosidade sob controle. Quem possui cabelos secos pode experimentá-la, desde que redobre os cuidados com as hidratações. Neste caso, um truque é turbinar a mistura. Basta adicionar 1 a 2 colheres (sopa) de azeite de oliva ou amêndoas doces. “Na falta destes, use óleo de canola ou de milho”, orienta a farmacêutica. Outra dica dada pela profissional é empregar a mesma medida (1 a 2 colheres de sopa) de iogurte. “As moléculas de proteína do iogurte ajudam a condicionar a estrutura do fio, que é feito basicamente de queratina (um tipo de proteína)”, ensina. Cor varia de pessoa para pessoa O tempo de permanência varia para cada pessoa.

O mínimo sugerido é de 20 minutos; o máximo, 1 hora. Em média, 30 minutos bastam. No entanto, fique atenta à reação do cabelo, sobretudo na primeira vez, para parar o processo na hora que os fios atingirem a cor desejada. Aí é só enxaguar a cabeça com água morna, aplicando xampu e condicionador se desejar. Este processo de coloração é diferente da tintura química, que abre a cutícula dos fios para remover o pigmento natural e depositar outro em seu lugar. É que o pigmento da hena se deposita sobre o fio, tendo efeito cumulativo. ¿Quem usa hena percebe que os cabelos ficam mais grossos e que há variação de cor a cada aplicação¿, diz Hélio Sassaki, do Centro de Tecnologia em Beleza do Senac-SP. Portanto, como dá volume, é uma ótima pedida para quem possui fios finos! Ideal para poucos fios brancos Como a hena somente se deposita sobre os fios, ela sai gradualmente nas lavagens. Desta forma, uma aplicação mensal é suficiente para avivar a cor. Se a meta for camuflar fios brancos, pode ser necessária uma aplicação quinzenal (neste caso, deixe a mistura mais tempo nas raízes, para em seguida espalhá-la pelo restante dos cabelos). A hena é perfeita para quem deseja reflexos avermelhados e possui até 50% de fios brancos. Acima deste teto, a porosidade do cabelo branco pode deixar uma coloração avermelhada demasiadamente intensa, próxima à cor de cenoura. A partir daí, portanto, o uso se restringe às pessoas que queiram um visual mais fashion.

Deixe uma resposta