Menopausa masculina: pode ser verdade?

Algumas vezes, o termo menopausa masculina é utilizado para descrever

 

 

Algumas vezes, o termo menopausa masculina é utilizado para descrever as alterações físicas e psicossociais que ocorrem nos homens a partir dos 40 anos de idade. Embora os níveis de testosterona nesses indivíduos geralmente diminuam, não é correto utilizar esse termo. A palavra começa com m-e-n, que não se refere ao sexo – e, sim, à menstruação. Portanto, tendo em vista que homens não menstruam, não se deve utilizar o termo menopausa (que significa o fim da menstruação) para indivíduos do sexo masculino. Alguns médicos preferem utilizar o termo andropausa. Nas mulheres, deixa de ocorrer a ovulação e os níveis dos hormônios sexuais femininos caem rapidamente. Nos homens, ocorre uma diminuição progressiva na produção dos hormônios masculinos. Outros termos empregados para descrever esse evento encontrado no sexo masculino incluem climatério masculino, viropausa e síndrome dos níveis reduzidos de testosterona.

 

A principal questão é se a redução gradual nos níveis de testosterona é normal e protege o organismo ou se é uma condição que deve ser tratada. Hormônios masculinos e idade De modo geral, homens mais idosos apresentam níveis menores de testosterona que os jovens. Após os 30 anos, esses valores começam a diminuir. A incapacidade reprodutiva encontrada após a menopausa, no entanto, não ocorre no sexo masculino. Enquanto todas as mulheres passam pela menopausa, nem todos os homens apresentam níveis reduzidos de testosterona na idade avançada. A andropausa não está relacionada com a deficiência completa da função das gônadas (órgãos reprodutivos). A redução nos níveis de testosterona é lenta e progressiva. E no homem, ao contrário do que ocorre com o estrógeno na mulher, os valores permanecem dentro dos limites da normalidade. Em geral, os homens mantém a capacidade reprodutiva até por volta dos 70 anos de idade.

A velocidade com a qual os níveis de testosterona diminuem também varia bastante entre os indivíduos. Apenas cerca de 5% dos homens de idade avançada apresentam valores abaixo do normal para os jovens. Independente da idade, doenças testiculares ou da hipófise (glândula que controla os testículos) também podem provocar redução nos níveis de testosterona. O hipogonadismo, como é chamada essa condição clínica, pode ser responsável pelo enfraquecimento dos ossos, disfunção sexual e perda de massa muscular. Nesses pacientes, a reposição hormonal traz benefícios. No entanto, ainda não está claro se esses benefícios também ocorrem nos pacientes mais idosos. Estudos sobre a terapia de reposição da testosterona (TRT) e o envelhecimento normal não demonstraram benefícios consistentes. As desvantagens incluem: * estimular o crescimento não neoplásico (benigno) da próstata; * agravar o câncer de próstata – pacientes com a doença não devem realizar a TRT; * piorar a apnéia do sono – uma interrupção repetitiva e rápida da respiração durante o sono; * estimular a produção excessiva das células sangüíneas (policitemia). Andropausa e crise da meia-idade É importante distinguir a andropausa e a crise da meia-idade.

A andropausa corresponde a alterações pelas quais os homens passam na meia-idade. A crise da meia-idade, por sua vez, é resultado dos conflitos individuais causados por essas alterações. Os principais sinais e sintomas encontrados em pacientes com níveis reduzidos de testosterona incluem: * menor crescimento da barba; * aumento na quantidade de gordura corporal; * perda de massa muscular e óssea; * fogachos; * irritabilidade; * alterações do humor; * dificuldade de concentração; * depressão; * fadiga; * aumento de volume da mama; * disfunção erétil. Muitos homens passam por situações difíceis nesse período – cuidando da família ou com dificuldades profissionais, por exemplo. Eles lidam com esses problemas de maneiras diferentes. Enquanto as alterações que ocorrem na meia-idade podem ser complicadas para alguns, podem não ser relevantes para outros. Para evitar maiores problemas, procure entender o que está acontecendo com você. Reconheça as mudanças e tente conviver com elas de forma construtiva. Apesar de ser difícil para muitos homens, perceber e discutir os problemas emocionais – mesmo quando se está bem – ajuda bastante. Em caso de necessidade, deve-se procurar ajuda profissional. O debate continua Menopausa, andropausa, ou qualquer que seja o nome utilizado. Não existem dúvidas de que, com o passar dos anos, os homens enfrentam problemas físicos e emocionais. Mudanças em casa, no trabalho e no próprio organismo prejudicam a saúde. Uma redução importante nos níveis de testosterona pode necessitar de reposição hormonal. Entretanto, só o médico é que pode melhor te aconselhar. Dra. Elisabete Almeida – ceoelisabete@latinmed.com.br Fonte: Associação Paulista de Medicina

Deixe uma resposta