Mitos e verdades sobre varizes

 

O exercício físico estimula a circulação do sangue

 

As feias e incômodas veias doentes nas pernas – as varizes – atormentam a maioria das mulheres e uma boa parte da população masculina. Mesmo assim, muita gente ainda tem dúvidas sobre as causas e efeitos desse problema. Confira a resposta para as mais comuns delas, dadas pelo dr. Kasuo Miyake, Doutor em Cirurgia Vascular pela USP: 1. “As varizes são um problema genético” – Verdade. Se a sua mãe ou o seu pai tem varizes, são maiores as chances de que você venha a sofrer com o problema. 2. “A prática de esportes causa varizes” – Mito. O exercício físico estimula a circulação do sangue e, com isso, previne o aparecimento de veias doentes. 3. “A cirurgia de varizes é de alto risco” – Mito. Muita gente teme a intervenção cirúrgica, mas o procedimento está cada vez mais seguro. A retirada de cada veia doente é feita com uma pequena incisão, de apenas 1 mm, e a anestesia é controlada por equipamentos, que monitoram o sono do paciente. 4. “Ao retirar as varizes com a cirurgia, terei a circulação do sangue prejudicada” – Mito. Pelo contrário: ao retirar as veias doentes, que estavam direcionando o sangue para o sentido errado, a circulação melhorará. 5. “A depilação e o cruzar de pernas causam varizes” – Mito. A os dois fatores não interferem em nada no aparecimento de veias doentes. 6. “Meias elásticas ajudam na circulação” – Verdade, mas nem sempre. As meias elásticas podem aliviar as dores nas pernas e facilitar a circulação do sangue se forem apropriadas para a sua perna.

 

O ideal é que a meia fique apertada na região do tornozelo, jamais na área dos joelhos. Caso contrário, ela será prejudicial. 7. “As mulheres têm mais varizes do que homens” – Verdade. Alguns estudos dizem que as mulheres costumam ter de duas a três vezes mais varizes do que homens. Elas identificam o problema mais facilmente, por depilar as pernas e deixá-las à mostra. Estima-se que um em cada cinco ou seis homens sofra com varizes, principalmente a partir dos 30 ou 40 anos. 8. “A gravidez provoca varizes” – Verdade. Por conta da alteração hormonal, a gravidez é um dos principais causadores de varizes (os outros são: ingestão de hormônios femininos, seja por reposição ou por anticoncepcionais; genética; ficar muito tempo em pé ou sentado; e excesso de peso). 9. “As varizes podem levar à trombose” – Verdade. Se a circulação do sangue ficar muito prejudicada por conta das varizes, existe o risco de formação de coágulos, que levam à Trombose Venosa Profunda (TVP). 10. “Anticoncepcional causa varizes” – Verdade. Geralmente sim, porque provoca alteração hormonal, uma das principais causas das veias doentes.

11. “Salto alto causa varizes” – Mito. Um recente estudo do cirurgião João Potério Filho, da Unicamp, afirma que o salto alto beneficia a circulação e evita o aparecimento de varizes. De qualquer forma, é importante lembrar que o salto, quando usado diariamente por muitos anos, pode dificultar o trabalho da “batata da perna”, que ajuda no bombeamento do sangue nas pernas. Por isso, é importante alongar as panturrilhas antes e depois de usar o salto. 12. “A alimentação influencia na formação de varizes” – Verdade, mas indiretamente. Uma alimentação equilibrada ajuda na manutenção de um peso adequado, o que, por sua vez, diminui as chances de desenvolvimento de veias doentes nas pernas. 13. “Cremes melhoram o problema” – Mito. Não há comprovação científica de que cremes eliminem varizes e nada indica que possam refazer as paredes de uma veia danificada. È perda de dinheiro na certa. 14. “Viagens muito longas criam o ambiente propício para a formação de varizes” – Verdade. Em trajetos longos de avião ou ônibus, por exemplo, nossas pernas costumam ficar muito tempo paradas na mesma posição e comprimidas, aumentando a dificuldade do sangue da perna em retornar ao coração e dando condições para a formação de varizes ou de coágulos no sangue (que por sua vez podem causar TVP ou embolia pulmonar). A dica é se hidratar bastante e mexer as pernas, com pequenas caminhadas ou o movimento de “sobe e desce” com o tornozelo e os pés. (Paula Idoeta/Libris) Fonte: Sortimentos.com

Deixe uma resposta