O aspecto dos cabelos

As glândulas sebáceas do couro cabeludo (existem entre 400 e 900 por cm² ) produzem

 

 

As glândulas sebáceas do couro cabeludo (existem entre 400 e 900 por cm² ) produzem lipídeos (triglicerideos, ácidos graxos, esqualeno, colesterol ), cuja função é impermeabilizar os cabelos, deixando-os macios, flexíveis e brilhantes. As glândulas sudoríparas (de 50 a 350 por cm²), por sua vez, dão origem ao suor que assegura o equilíbrio térmico e elimina as toxinas do metabolismo celular. O suor é constituído de água, sódio, cálcio, potássio, ácido lático, glicose, uréia, aminoácidos, apresentando um PH entre 3.8 e 5. e protegendo contra os microorganismos que habitam o couro cabeludo. A produção das glândulas sebáceas, somada à produção das glândulas sudoríparas e mais os resíduos da desintegração da epiderme, compõem o Manto Hidrolipídico, que é um fator de proteção da pele. Alterações emocionais, hormonais, nutricionais, o esforço físico, fatores climáticos e outros, influirão sobre a composição do Manto Hidrolipídico do couro cabeludo e, em decorrência , na aparência dos cabelos. Classificação dos cabelos conforme grau de oleosidade e hidratação Cabelos Normais – As glândulas sebáceas liberam oleosidade suficiente. Os fios são brilhantes, macios, maleáveis e desembaraçam com facilidade, mesmo quando molhados. Não são oleosos na raiz nem secos nas pontas, e as cutículas são fechadas. A limpeza pode ser diária com um xampu neutro. Cabelos Secos – As glândulas sebáceas são hipofuncionais. Os fios são opacos, rebeldes e quebradiços.

 

As pontas se rompem, abrindo-se em forquilha. As cutículas são abertas, tornando-os porosos, ásperos e embaraçados. Fatores externos como tratamentos químicos freqüentes ( tinturas, descolorações, permanentes, alisamentos) bem como o uso do secador ou a exposição prolongada ao sol ou à água da piscina, alteram a estrutura dos fios, que perdem a elasticidade e o brilho. O ideal é lavá-los 2 vezes na semana com um xampu com detergente suave (ph ácido e princípios ativos hidratantes), complementando com um condicionador. Cabelos Oleosos – o couro cabeludo apresenta exagerada produção de sebo pela hiperatividade das glândulas sebáceas. Os fios apresentam-se aglutinados, sem volume, gordurosos e, às vezes, exalam odor característico. Pode haver irritação e prurido no couro cabeludo. A limpeza pode ser diária com água fria (água quente estimula a oleosidade) e xampu desengordurante. Cabelos Mistos – É o cabelo da maioria das brasileiras. Apresenta oleosidade no couro cabeludo mas as pontas são desidratadas. Deve-se ao não espalhamento do sebo pelas superfícies dos fios. Requerem cuidados especiais na lavagem e condicionamento. Cabelos Frágeis – Determinados geneticamente ou por deficiências nutricionais ou metabólicas. São cabelos finos e com pouca resistência. Necessitam cuidados especiais. O xampu deverá ser adequado a cada caso. Cabelos Volumosos – São secos e arrepiados, com as cutículas abertas. Exigem xampus e condicionadores adequados. Cabelos Tingidos – O processo repetido de tinturas danifica as fibras de queratina presentes nos fios, provocando ressecamento, falta de brilho e alterações na tonalidade da cor. Usar xampus e condicionadores hidratantes. Cabelos com Caspa – A caspa pode ser seca ou oleosa. O xampu será adequado ao couro cabeludo e aos fios. Fonte: www.tricologia.com.br

Deixe uma resposta