O que é mioma?

A presença de miomas não significa obrigatoriamente intervenção cirúrgica,

 

Mioma é uma tumoração benigna que se forma no útero. Sendo benigno, não precisa necessariamente ser retirado. O mioma não desaparece com medicação. Se houver necessidade de retirá-lo, só uma cirurgia resolverá o caso. Quando retiramos somente o mioma realizamos a miomectomia, se for necessário à retirada do útero junto com o mioma daí realizaremos a histerectomia. A presença de miomas não significa obrigatoriamente intervenção cirúrgica, que só será indicada quando houver situações que estejam prejudicando o bem estar da paciente e se não houver sucesso com o tratamento medicamentoso (tratamento clínico). Se não existir sintomas e nem estiver atrapalhando uma gravidez desejada, a cirurgia pode ser dispensada. Quando os miomas devem ser tratados cirurgicamente: – Quando for muito volumoso e estiver comprimindo outros órgãos como bexiga, intestinos etc. – Quando estiver provocando dor e cólica – Quando provocar hemorragias importantes que não foram melhoradas com tratamento medicamentoso e que podem levar a anemia. Tratamento clínico Sempre que possível os tratamentos clínicos devem ser indicados, mas para isso, cada caso deve ser analisado criteriosamente.

 

A escolha por um ou outro tratamento deve ser ajustada para cada paciente levando-se em consideração alguns fatores como idade, risco cirúrgico, o desejo de menstruar e de ter filhos. Neste último caso, não devemos esquecer que uma mulher pode ter filhos até 55 anos através da doação de óvulos. Portanto mesmo para as mulheres com idade próxima a menopausa deve ser levada em consideração esta possibilidade. Os tratamentos clínicos mais comuns são: pílula, hormônios, antiinflamatórios, remédios contrair o útero e mais modernamente os implantes hormonais que impedem hemorragias. Tratamento Cirúrgico Atualmente, o mundo está voltado para que às cirurgias cause o menor dano possível a paciente na cura de uma determinada doença. Hoje não fazemos cortes na barriga (laparotomia), a não ser em condições excepcionais. Tanto para a histerectomia como para miomectomia existem alternativas cirúrgicas bastante confortáveis para a paciente. São elas: – Laparoscopia: através de um corte de 1,0 cm no umbigo, introduzimos uma câmera de TV e operados através de mais 2 ou 3 cortes de 0,5 cm no abdome, visualizados por um monitor de TV.

A paciente fica só um dia internada, perde menos sangue e volta mais rápido à suas atividades normais e com pequenas cicatrizes. – Histeroscopia: Quando o mioma localiza-se dentro da cavidade uterina, podemos retirá-lo através de um aparelho chamado histeroscópio, que é introduzido dentro do útero pela vagina. A paciente vai para casa no mesmo dia e sem cicatriz. – Histerectomia vaginal: Podemos, no caso de retirar todo útero, faze-lo totalmente por via vaginal, sem cortes no abdome. A paciente tem alta do hospital em 24 horas e sem nenhuma cicatriz, com uma recuperação muito rápida às suas atividades cotidianas. – Embolização de miomas: É uma técnica onde é introduzido um êmbolo (tampão) através de artéria femural e colocado na artéria uterina, vaso que nutre o útero, Com a falta de sangue no órgão os miomas diminuem e podem até ser eliminados pela vagina. É um procedimento muito delicado e indicado para casos muito bem selecionados. Nos casos de mioma, o médico indicará a técnica cirúrgica mias apropriada para você, visando acima de tudo o seu bem-estar. Fonte: http://www.ipgo.com.br/gineco03.htm

Deixe uma resposta