O que você sabe de verdade sobre a acne?

A acne é uma das doenças mais comuns da

 

A acne é uma das doenças mais comuns da pele: cerca de 80% das pessoas sofrem com essa praga em algum momento de suas vidas. Felizmente, o que antes era um suplício sem fim, se tornou um problema absolutamente tratável e curável. Por exemplo: você sabia que nas últimas duas décadas, graças aos estudos de uma substância derivada da vitamina A, chamada isotretinoína, foi possível chegar à cura da acne? Quando bem indicado e acompanhado por um profissional capacitado, o tratamento com isotretinoína é capaz de resolver a imensa maioria dos casos em seis a oito meses. O principal risco relacionado a esse medicamento é a possibilidade de má-formação fetal, motivo pelo qual deve ser usado com cuidados redobrados nas mulheres em idade fértil. Outros possíveis efeitos colaterais, como dores de cabeça e ressecamento labial, são reversíveis e desaparecem com a interrupção do tratamento. Mesmo com pesquisas, avanços e conquistas sobre o assunto, alguns mitos sobre a acne parecem ter sete vidas, e vez ou outra ressurgem em um bate-papo no consultório ou durante um encontro casual com os amigos.

 

Em uma situação dessas, será que você conseguiria separar o joio do trigo? Faça o teste com as perguntas a seguir e veja quantas você é capaz de acertar: A acne é pior na adolescência Verdadeiro. A relação exata entre acne e adolescência ainda é desconhecida. Acredita-se que o problema esteja relacionado às variações hormonais típicas do período, que fazem com que as glândulas sebáceas aumentem seu tamanho em até três vezes, facilitando o desenvolvimento das espinhas. O Sol melhora a acne Falso. A princípio, o Sol mascara a acne, desidratando as glândulas da pele, e parece melhorar o quadro geral. Contudo, o Sol também danifica os folículos e causa entupimento dos poros, resultando em mais acne – este efeito em geral surge três a quatro semanas depois da exposição à luz solar. Quanto mais sexo, mais acne Falso. Um dos mitos mais famosos relaciona atividade sexual ao agravamento da acne. Isso, obviamente, não possui qualquer fundamento. Na verdade, o sexo pode reduzir os níveis de estresse e, com isso, diminuir a acne.

Não conte para o seu filho adolescente. Pizza, chocolate e outras guloseimas causam acne Falso. Na maioria das pessoas, não existe uma associação específica entre determinados alimentos e acne. O que existe é uma relação entre a acne e a quantidade de calorias ingeridas: dietas com excesso de calorias aumentam os níveis de testosterona, e a testosterona aumenta a produção de secreção nas glândulas da pele – que posteriormente se transformarão em lesões da acne. Pasta de dente ajuda Falso. Além de você ficar com aquela cara de quem acabou de ser atacado por um tubo de dentifrício raivoso, o flúor presente nos cremes dentais podem irritar ainda mais o local da aplicação, piorando a acne. É bom manter o rosto sempre limpo Verdadeiro. Mas tome cuidado com a intensidade da limpeza, pois a pele precisa de um nível específico de pH para manter-se saudável. Se você quiser ajudar em vez de atrapalhar, é suficiente lavar o rosto duas ou três vezes por dia, no máximo, desde o queixo até a linha de cabelos na parte superior da testa, com movimentos circulares e delicados. Enxágüe com bastante água morna e use uma toalha macia para secar a pele. Não use buchas ou esponjas. A escolha adequada do sabonete é crucial. Sabonetes detergentes ajudam a diminuir a produção de sebo, mas em alguns casos podem piorar a doença. Prefira sabonetes leves (por exemplo, aqueles indicados para bebês). Espremer melhora Falso. Em hipótese alguma esprema suas espinhas – isso só aumenta o risco de cicatrizes e infecções. Cosméticos não pioram a acne Falso. Cosméticos oleosos (por exemplo, batons) podem facilitar o desenvolvimento da acne. Produtos capilares, como laquês, quando em contato com a pele, podem causar queimação ou irritação na pele de pessoas com acne, acentuando o problema. Fonte: Estado de Minas

Deixe uma resposta