Osteoporose e exercícios físicos

 

O esqueleto é um sistema dinâmico bem organizado formado por cristais de hidroxiapatia, constituída principalmente pelo cálcio e fósforo. O esqueleto tem como função providenciar suporte estrutural e proteção aos órgãos, servindo também como um

grande reservatório de cálcio corporal no esqueleto (mais de 99%). “O cálcio é de fundamental importância para os ossos já que é o responsável pela integridade estrutural do esqueleto, sendo essencial para suportar o tamanho corporal cada vez maior do indivíduo durante sua fase de crescimento” (Avioli, 1984). Segundo Avioli o cálcio é fundamental para a resistência dos ossos, sendo que a falta deste componente torna a estrutura óssea mais frágil há fraturas e doenças como a osteoporose. “A osteoporose é uma doença óssea disseminada por todo o esqueleto, caracterizada por baixa massa óssea, é uma deterioração de micro arquitetura do tecido ósseo, com conseqüente aumento da fragilidade óssea e suscetibilidade a fraturas” (Sitta, 1998).

As fraturas ósseas e suas complicações são as principais manifestações clínicas da osteoporose, pois na maioria dos casos trata-se de uma doença silenciosa. Embora todos os ossos sejam sensíveis, as fraturas típicas ocorrem no colo do fêmur, vértebras e punho. Em termos gerais acredita-se que as incidências de fraturas ósseas sejam maiores em pessoas que possuem uma densidade mineral óssea baixa. “Os estudos que compararam a densidade mineral óssea de atletas de diferentes modalidades demonstraram que o treinamento com pesos pode aumentar de forma significante a densidade mineral óssea” (Klesges et al., 1996). As atividades e exercícios físicos beneficiam não apenas os tecidos ósseos, ma também outros fatores relacionados às quedas, como a força muscular, equilíbrio e flexibilidade.

Esses estudos demonstraram o aumento de 1% na densidade mineral óssea de mulheres pós-menopausa, por meio de uma série de treinamento com pesos. Como vimos a atividade física desempenha uma grande importância sobre o esqueleto ajudando na qualidade dos ossos por todo o corpo. Por isso, é fundamental manter uma vida ativa na juventude, especialmente com atividades que sobrecarreguem sensatamente a estrutura óssea do indivíduo. Esta intensidade maior nas ações que compõem um programa de exercícios fará com que os ossos tornem-se mais densos, saudáveis e menos suscetíveis aos efeitos da osteoporose.

Referência: Jornal da musculação, ano IX, nº 47, fev/março de 2003. Acadêmico Elizandro Assing

Deixe uma resposta