Verão pede cuidados redobrados com os olhos

O Verão é a estação da praia, do calor e da diversão. Mas é nessa

 

 

O Verão é a estação da praia, do calor e da diversão. Mas é nessa época que os cuidados com os olhos devem ser redobrados. A temperatura aumenta e algumas bactérias começam a se reproduzir com mais facilidade. E é nessa hora que as doenças externas dos olhos começam a aparecer com freqüência, a conjuntivite e a blefarite, ou seja, inflamação nas bordas da pálpebra, são as mais comuns. Essas doenças são transmitidas pelo contato com a bactéria, ou com pessoas contaminadas. Se alguém com conjuntivite ou blefarite coça os olhos e logo após aperta as mãos de outra, ela estará contaminando essa pessoa. E assim sucessivamente. Os sintomas da conjuntivite são, usualmente, olhos vermelhos, coceira, sensação de areia nos olhos, sensibilidade à luz, inchaço das pálpebras e secreção. Na blefarite as pálpebras superiores e inferiores ficam recobertas por detritos oleosos e bactérias em torno da base dos cílios. O paciente sente irritação ocular e, em certos casos, ocorre a inflamação do olho. A limpeza regular e completa da borda palpebral contribui para o controle da blefarite. Para prevenir essas doenças, deve-se lavar as mãos no mínimo quatro vezes ao dia, evitar o contato com pessoas doentes e manter a higiene em dia. O cuidado deve ser redobrado com as crianças, pois elas costumam ser as mais afetadas.

 

– Se o contágio já tiver sido feito, deve-se imediatamente procurar um oftalmologista. Algumas conjuntivites são autolimitadas, ou seja, após quatro ou cinco dias, seu organismo consegue eliminá-las. Nesses casos o paciente deve ficar lavando os olhos com soro até ficar bom. Porém, existem outros tipos que só desaparecem com o uso de colírios. Por isso é muito importante que se procure um especialista. Mas as pessoas também não precisam ficar desesperadas, pois é raro que uma dessas doenças cause danos permanentes a visão – diz doutor Renato David, do Serviço de Oftalmologia da UFRJ. O uso de óculos escuros, segundo o médico, não são essenciais. Mas, se a pessoa quiser utiliza-los, devem ser apropriados a ponto de barrar os raios ultravioletas vindos do Sol. “Se a pessoa compra um óculos de má qualidade, ela terá o ambiente escurecido e a sua pupila dilatará. Isso fará com que os raios ultravioletas penetrem nos olhos e os prejudiquem”, explicou o oftalmologista. Tainá Saramago Fonte: www.olharvital.ufrj.br

Deixe uma resposta