Verrugas genitais

O que são verrugas genitais?

Verrugas genitais são erupções da pele semelhantes às verrugas vulgares que aparecem nos dedos , mas localizadas nos órgãos genitais (pênis, testículos, vagina, vulva, colo do útero) e na região à volta do ânus.

Excepcionalmente pode haver verrugas genitais na boca ou na garganta (contágio por sexo oral).

Qual é a causa das verrugas genitais?

As verrugas genitais são causadas por vírus da família dos “vírus do papiloma humano” ou HPV. Há cerca de 70 espécies diferentes de HPV dos quais doze são responsáveis pelo aparecimento das verrugas genitais. As outras espécies de HPV são responsáveis pelas verrugas vulgares das mãos, pés e face, mas não afetam os genitais.

As verrugas genitais são frequentes?

São. A infecção pelo HPV (causador das verrugas genitais) é a doença de transmissão sexual mais frequente. Quando alguém contrai esta infecção torna-se portador do vírus por longos períodos ou pelo resto da vida e pode disseminá-lo através do contacto sexual, mesmo sem apresentar sintomas da doença.

Como se transmitem as verrugas genitais?

As verrugas genitais transmitem-se por contacto sexual. Quanto maior for o número de parceiros sexuais maior é o risco de contrair a doença. O uso de preservativo diminui o risco de contágio , mas não confere uma proteção total porque as verrugas podem estar localizadas nos testículos ou na vulva, em zonas que entram em contacto com a pele do parceiro mesmo com preservativo.

O HPV é pouco resistente fora do corpo humano mas pode sobreviver por períodos curtos em objecto úmidos, o que torna possível – embora raro – a sua transmissão através da partilha de toalhas e roupa interior molhada ou objetos sexuais. A transmissão do HPV de uma mãe infectada ao seu filho pode acontecer durante o parto, se o recém nascido contacta com o vírus localizado na vagina ou no colo do útero.

O que sucede ao HPV quando infecta um indivíduo?

O HPV é pouco resistente fora do corpo humano onde só consegue sobreviver por períodos curtos e em ambiente úmido. Quando consegue penetrar nas camadas superficiais da pele da região genital de um indivíduo o vírus desloca-se para as camadas mais profundas onde pode manter-se em estado latente (adormecido) por vários anos, ou multiplicar-se causando o aparecimento de pequenas pápulas isoladas ou múltiplas – as verrugas.

As verrugas são a forma mais contagiosa da infecção mas a infecção latente por HPV também se pode transmitir por contacto sexual.

Como são os sintomas da infecção pelo HPV?

A infecção pelo HPV é com frequência assintomática (não dá sintomas e as pessoas não sabem que estão infectadas). Quando a infecção se torna sintomática pode manifestar-se pelo aparecimento de verrugas isoladas ou múltiplas, localizadas nos órgãos genitais (vulva, vagina, colo do útero, pênis e testículos) ou na região ao redor do ânus; corrimento, comichão na região genital ou dor local que se agrava durante as relações sexuais.”

As verrugas genitais são um problema grave?

As verrugas genitais são um problema de saúde potencialmente grave. Além da facilidade de disseminação por contacto sexual, o que acontece mesmo sem lesões aparentes (infecção latente), algumas espécies de HPV provocam alterações nas células do colo do útero que são pré-cancerosas , ou seja, com o tempo podem evoluir para cancro do colo do útero.
Assim, a principal complicação das verrugas genitais é a sua evolução para o cancro, que afeta principalmente as mulheres. O cancro mais vezes associado ao HPV é o cancro do colo do útero, mas também se pode desenvolver cancro da vagina, da vulva ou do pênis, embora sejam situações muito mais raras.

Como se diagnosticam as verrugas genitais?

A dificuldade de diagnóstico das verrugas genitais tem a ver com a sua localização em zonas não acessíveis à observação direta (como a vagina ou o colo do útero) e com o período de latência da infecção em que o vírus se encontra no organismo sem se manifestar. Quando as verrugas são aparentes , e de observação fácil, como acontece no homem, o diagnóstico é mais fácil. Para identificar lesões em locais pouco acessíveis ou em fase não sintomática é indispensável a observação ginecológica periódica. A colpocitologia (colheita de células do colo do útero para observação ao microscópio) deve ser feita uma vez por ano e permite identificar alterações celulares não visíveis a olho nu e sugestivas da presença do vírus.

A colposcopia é outro método de identificação de alterações das células do colo do útero ou da vagina e consiste na observação ginecológica com um aparelho com funções idênticas às de um microscópio. O método mais preciso para identificação do HPV é a realização de testes de DNA em células dos órgãos genitais, que além de permitir identificar a presença do vírus possibilita a sua classificação por sub-tipos (o que é importante para ficar a conhecer o seu potencial cancerígeno).

Como se tratam as verrugas genitais?

Não há atualmente cura definitiva para a infecção pelo HPV. Há métodos mecânicos (laser, crioterapia, excisão cirúrgica, etc.) e químicos (aplicação local de uma solução cáustica) para eliminar as verrugas. A destruição das verrugas não significa a cura da infecção pelo HPV pois o vírus pode persistir no organismo apesar do desaparecimento das lesões. Devido à facilidade da sua transmissão por via sexual é importante observar e , eventualmente , tratar os parceiros sexuais dos indivíduos infectados.

Como se previnem a infecção pelo HPV e as verrugas genitais?

A forma segura consiste na vacinação contra o HPV e o uso de preservativos.

Qual é o risco de uma mulher infectada pelo HPV desenvolver um cancro genital?

O risco é pequeno. Cerca de 90% das verrugas genitais são causadas por dois tipos de HPV que não são cancerígenos, o que significa que a maior parte das verrugas genitais nunca evoluirão para cancro. Dos outros tipos de HPV que podem causar verrugas genitais há dois que têm um alto potencial de malignidade e são os principais responsáveis pelo aparecimento de cancro do colo do útero associado a esta infecção. A evolução de uma lesão pré cancerosa para cancro pode levar vários anos .

Assim, a melhor forma de prevenir a evolução de uma infecção por HPV para um cancro genital é a observação ginecológica periódica , com realização de colpocitologia anual, que possibilita a identificação das alterações celulares suspeitas no seu início, numa fase em que o tratamento ainda é possível.” As crianças podem ter verrugas genitais? “Um recém nascido pode ser infectado pelo HPV quando é contaminado pela mão durante a passagem no canal de parto (colo do útero e vagina) se a mãe está infectada.

Nas crianças mais velhas o aparecimento de uma verruga genital deve fazer suspeitar de abuso sexual, já que a forma habitual de transmissão do HPV é o contacto sexual (o contágio por toalhas úmidas contendo o vírus ou pelas mãos contaminadas, embora possível, é muito raro e pouco provável, pois o HPV é muito frágil fora do seu habitat natural).

Autora: Dra. Ana Ferrão

Fonte: www.medicoassistente.com

Deixe uma resposta